Skip to content

O início das minhas dietas

Não lembro muito bem quando comecei a fazer dietas. Me recordo, entretanto, de ir dormir cedo após comer aquelas sopas instantâneas lights, horríveis por sinal, para emagrecer e não sentir fome. Lembro também de ir em uma nutricionista, até o dia em que ela me xingou por não ter emagrecido o esperado para aquela semana.

Como nada estava dando muito certo, comecei a ir em um médico da cidade, para ver se ele via alguma solução para mim. Eu deveria estar com 14 anos e um peso muito mais alto do que o recomendado para a minha idade. Se bobear, o dobro. Passei a fazer a dieta dos pontos, vivia somando e conferindo se o que eu comi totalizava os pontos do dia.

Nessa época, passei também a tomar medicamento para emagrecer. Se eu não me engano, apesar de ser extremamente jovem, o medicamento indicado para mim foi sibutramina.

Emagreci bastante, passei a me gostar e a me sentir “parte da sociedade”, até que quase desmaiei em casa por conta de uma queda de pressão. Aquilo me assuntou, me fez parar de tomar o medicamento e, aos poucos, engordar tudo o que eu havia perdido (e mais).

A época dos meus 15 anos foi a que eu mais gostei de mim mesma. Lembro que eu usava vestido, algo realmente inédito, estava super bronzeada e realmente me achava bonita. Parecia que eu fazia parte do grupo, sabe? As roupas de lojas comuns serviam em mim, não me sentia um monstro.

Mas, nesse tempo em que eu já cuidava da minha alimentação, não percebia que precisava urgentemente corrigir meus sentimentos e pensamentos, principalmente minha relação com a comida e com a vida. Sempre tive problemas em aceitar que as pessoas podiam não gostar de mim, que as amizades poderiam se desfazer. Nunca soube lidar bem com esses fatores. E, sendo sincera, ainda não sei muito bem.

Apesar de eu frequentar um Centro Espírita semanalmente, e sei que o amparo espiritual me segurou em muitos momentos, nunca havia procurado ajuda psicológica e, por isso, nunca aprendi a lidar de fato comigo mesma.

Com o passar dos anos, voltei a engordar, engordar e engordar. Entrei para a faculdade obesa, me sentindo muito grande. E todo este peso me fez passar por um dos momentos mais traumáticos da minha vida.

Comments

comments

Published inGeral
Este conteúdo é exclusivo e pessoal. É necessário pedir autorização à autora para replicar em outros locais e mídias.
%d blogueiros gostam disto: